sexta-feira, 14 de julho de 2017

CONTOS

                              

                                   O PÃOZINHO

                    Há muitos anos, houve uma grande fome na Alemanha, e os pobres sofriam                       muito. Um homem rico, que amava crianças, chamou vinte delas e disse:
                 - Nesta cesta há um pão para cada um de vocês. Peguem e voltem todos os dias, até             passar esta época de fome. Vou lhes dar um pão por dia.
                 As crianças estavam esfomeadas. Partiram para cima da cesta e brigaram pelos                     maiores pães. Nem se lembraram de agradecer ao homem que tivera tanta bondade                 com elas. Após alguns minutos de briga e avanço nos pães, todos foram embora                         correndo, cada um com seu pão, exceto uma menininha chamada Gretchen. Ela ficou             lá sozinha, a pequena distância do homem. Então, sorrindo, ela pegou o último pão, o             menor de todos, e agradeceu de coração.
                No dia seguinte, as crianças voltaram e se comportaram pior do que nunca.                            Gretchen, que não entrava nos empurrões, ficou só com um pãozinho bem fininho,                  nem metade do tamanho dos outros. Porém quando chegou em casa e a mãe foi cortar            o pãozinho, caíram de dentro dele seis moedas bem brilhantes de prata.
              - Oh, Gretchen! - exclamou a mãe. - Deve haver algum engano. Esse dinheiro não                  nos            pertence. Corra o mais rápido que puder e devolva-o ao cavalheiro!
              E Gretchen correu para devolver, mas, quando deu o recado da mãe, o senhor lhe                 disse:

           - Não foi engano nenhum. Eu mandei cozinhar as moedas no menor dos pães, para                recompensar você. Lembre-se de que as pessoas que preferem se contentar com o                   menor pedaço, em vez de brigar pelo maior, vão encontrar muitas bênçãos bem maiores        do que dinheiro dentro da comida.
        
           Postado por Marisa Alverga